Você está aqui: Página Inicial / Comunicação / Notícias / 2011 / 1º Bimestre / Investimentos para um futuro tranquilo

Investimentos para um futuro tranquilo

Acessar


Acessar


Acessar


Você está aqui: Página Inicial / Comunicação / Notícias / 2011 / 1º Bimestre / Investimentos para um futuro tranquilo
por kamylla — publicado 23/06/2016 04h21, última modificação 29/11/2011 11h43
Desde crianças ouvimos que poupar é sempre o melhor. No entanto, quando crescemos não levamos essa máxima para a nossa vida. Nessa conta estão vestuário, educação, alimentação e lazer. Todo ser humano precisa se vestir adequadamente, ter uma boa educação, comer bem e ter diversão, tudo custeado pela força de trabalho. O problema nasce quando essas despesas ultrapassam a renda mensal e se gasta pelo futuro, o dinheiro que ainda não se tem em mãos, é o crédito. Compra-se pensando no agora, poupa-se pensando no futuro próximo, mas quem poupa a longo prazo para garantir uma boa aposentadoria?

De acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em conjunto com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o número de inadimplentes subiu pelo oitavo mês seguido em setembro, atingindo alta de 5,8%. Mas como fazer para não entrar nessa estatística e desfrutar de um futuro mais tranqüilo sem abdicar do que se tem hoje? A palavra de ordem é planejamento.

Mãos à obra

A primeira ação para se pensar na aposentadoria é poupar. Poupar como se existem tantos gastos imediatos? Para isso existem os fundos de previdência complementar. As pessoas devem deixar de lado o paradigma de que esses fundos são destinados apenas a pessoas com salários elevados. Todos podem aderir a um plano. A principal vantagem do fundo, a exemplo do próprio nome, é que o funcionário poderá garantir durante a aposentadoria uma renda complementar.

Na hora certa

Alguns dão a desculpa que são jovens demais para pensar em aposentadoria, outras falam que a idade avançada não trará tempo suficiente para investir em uma terceira idade tranqüila. Um fator pode ser determinante para mudar esse pensamento. Segundo pesquisa divulgada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a expectativa de vida do brasileiro aumento. A expectativa de vida do brasileiro passou para 73,17 anos.As mulheres continuam vivendo mais que os homens e têm esperança de vida ao nascer de 77 anos, ao passo que os homens têm uma expectativa de vida de 69,4 anos. De acordo com o IBGE, entre 2000 e 2009, a esperança de vida do brasileiro cresceu 2 anos, 8 meses e 15 dias, e em relação a 1980, aumentou 10 anos, 7 meses e 6 dias.

Com a esperança de vida prolongada, é preciso pensar em como desfrutar bem desse tempo. É um desafio colocar o orçamento da família para “pensar” daqui 10, 20, 30 ou 40 anos, mas é um ajuste que se faz necessário. Manter o padrão de consumo de quando era funcionário e quando passe a ser aposentado é o sonho de qualquer pessoa. Esse é um sonho possível e palpável, basta planejar a aposentadoria. Independente da idade. Não existe um momento determinado para investir, o maior erro é adiar os planos de poupança.

Para uma melhorar os gastos e saber onde realmente deve poupar, o ideal é fazer um orçamento. Um orçamento mostrará qual a sua situação financeira atual, se suas despesas cabem no seu salário. Ele é a fotografia de suas despesas e receitas. Caso seu salário não cubra suas despesas mensais é preciso ter cuidado. É preciso convocar toda a família e mostrar onde precisam fazer cortes. Se o salário cobre as despesas, mas não sobra nada, também é perigoso, porque imprevistos podem acontecer. É necessário avaliar se: as contas foram feitas corretamente, se você não esqueceu nenhum item no momento de calcular a despesa, e se o que sobrar será suficiente para conquistar seus objetivos.

Dez razões para ter um orçamento:

Você saberá qual o real alcance de sua renda

Evitará que você assuma dívidas que não poderá pagar

Você conseguirá identificar e cortar desperdícios

É o primeiro passo para construir um patrimônio

Você não precisará ficar contando os dias para chegar o fim do mês

Sua família enxergará para onde vai seu salário

Seu filho aprenderá com seu exemplo a ser um adulto financeiramente responsável

Sua produtividade no trabalho tende a aumentar sem aflições financeiras

Você conseguirá criar um plano de investimento para manter seu padrão de vida durante sua aposentadoria



Dicas para ajustar a vida financeira:

Se tem dívidas, procure liquidá-las. Se está devendo no cheque-especial, procure o gerente do banco e converse para ter um abatimento ou parcelar a dívida.

Anote tudo que gastar, de lanchinhos a compras grandes. Com esse levantamento, você pode identificar onde estão os gastos desnecessários.

Cuidado com as compras parceladas. Se possível, não faça dívidas prolongadas. Evite pagar apenas o valor mínimo do cartão de crédito, isso acarreta juros e pode virar uma “bola de neve”.

Se tiver dinheiro em uma aplicação não resgate na primeira dificuldade. Procure saber o que gerou a dívida e tente negociá-la.